[Foto: soldado soviético levantando uma bandeira da União Soviética sobre o Palácio do Reichstag, Berlim, 02.05.1945 . Crédito: Yevgeny Khaldei Anan’evich]

 

A Rússia assinalou nesta quinta-feira (09/05/2024), o Dia da Vitória, que marca a captura de Berlim pelas tropas soviéticas e a derrota da Alemanha nazista em 1945, colocando fim à Segunda Guerra Mundial na Europa.

 

Nos países sob influência da antiga União Soviética, a partir de 1967, o Dia da Vitória começou a ser comemorado nos dias 9 de maio, referindo-se ao dia da rendição definitiva e incondicional das forças nazistas. O ditador alemão Adolf Hitler, diante da derrota iminente, havia cometido suicídio em 30 de abril de 1945.

 

Na noite de 8 para 9 de maio de 1945, os comandantes supremos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica da Wehrmacht assinaram o atestado de capitulação no quartel-general soviético em Karlshorst, em Berlim (hoje o Museu Berlim-Karlshorst). A última assinatura foi firmada em 9 de maio, às 0h16.

 

A vitória sobre a Alemanha continua a ser um dos símbolos mais importantes da identidade nacional russa. As celebrações acontecem em várias cidades por todo o país. A Parada da Vitória na Praça Vermelha em Moscovo é a mais importante e sempre uma ocasião de mostrar o poderio militar com desfile de cerca de 9.000 soldados, incluindo centenas que combateram na Ucrânia e 70 unidades de equipamento militar, participaram este ano. Colunas de tanques e mísseis rolaram pela Praça Vermelha, sobrevoadas por jatos de combate.

 

O presidente russo, Vladimir Putin, realizou seu tradicional discurso antes do desfile na Praça Vermelha. De acordo com líder russo, hoje existe uma tentativa de “distorcer a verdade sobre a Segunda Guerra Mundial”.

 

“O revanchismo, o escárnio da história e o desejo de justificar os atuais seguidores dos nazis fazem parte da política geral das elites ocidentais para incitar cada vez mais conflitos regionais, lutas interétnicas e inter-religiosas e tentar conter centros soberanos e independentes de desenvolvimento global”, afirmou no seu discurso.

 

“A Rússia fará tudo para evitar um confronto global. Mas, ao mesmo tempo, não permitiremos que ninguém nos ameace. As nossas forças estratégicas [nucleares] estão sempre em alerta”, declarou Putin. Depois ordenou o cumprimento de um minuto de silêncio pelos mortos da Segunda Guerra Mundial, na qual a antiga União Soviética perdeu mais de 26 milhões de pessoas, civis e soldados, entre 1941 e 1945. De longe o país com o maior número de mortos na guerra. Recordou também a luta da China contra o imperialismo japonês nos anos 1930 e 1940.

 

A celebração da vitória sobre os nazistas na Segunda Guerra Mundial

 

A origem histórica das atuais celebrações anuais na Praça Vermelha é a parada da vitória que ocorreu em 24 de junho de 1945, no mesmo local de Moscou.

 

Aquela foi a maior parada militar da história da União Soviética: 40 mil soldados, 1.850 tanques e outros veículos de guerra e uma orquestra com mais de 1.300 músicos militares para celebrar a vitória sobre a Alemanha de Adolf Hitler. A celebração deixou uma imagem icônica da era soviética: a do marechal Gueorgui Júkov inspecionando as tropas perfiladas do alto de um cavalo branco.

 

*Com informações das agências de notícias | Edição: Valdisio Fernandes, Instituto Búzios.

Banner Content
Tags: , , ,

Related Article

No Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário

MÍDIA NEGRA E FEMINISTA ANO XX – EDIÇÃO Nº230 – MAIO 2024

Siga-nos

INSTAGRAM

Arquivo