O ‘Trace Brasil’, filial da empresa de mídia francesa Trace Global, lançou neste sábado (25) de julho, dia da celebração da Mulher Negra Latino- Americana e Caribenha, o canal a cabo Trace Brazuca. É um canal de conteúdo 100% dedicado a Cultura Afro e protagonizado por criadores pretos.

O canal que chega a partir de 25 de julho nas operadoras Vivo e Claro, mesclará conteúdos musicais, obras de ficção e documentários de criadores negros, além de outras atrações voltadas a ciência, tecnologia, empreendedorismo, culinária e história africana. Outros 20 canais Trace já são exibidos no continente africano, na Europa e nos Estados Unidos.

O Trace Brazuca tem o objetivo de valorizar um dos mais importantes movimentos culturais do mundo, o afrourbano. A experiência global do grupo de mídia afrourbano Trace, presente em mais de 120 países, resulta em uma programação com linguagem universal e conteúdo multicultural, trazendo a representatividade aos mais de 120 milhões de brasileiros pretos e pardos, de acordo com o IBGE. Explica José Papa, sócio e CEO da Trace Brasil.

O executivo exalta ainda o papel de Kenya Sade, coordenadora de programação, para que o canal seja coerente. “A programadora do Brasil é a Kenya, a mulher mais poderosa do canal, mais a Karina Brito. As pessoas que mais têm o poder de conteúdo na hora de programar são duas mulheres, o que fala muito, pois o Brasil tem 51% de mulheres e 56% de pessoas negras. A programação é vista com esse olhar”, comenta.

“Teremos a jornalista angolana Mwana Afrika,  reposicionando esse lugar de ancestralidade na cabeça de muita gente, reposicionando a ideia de quem sempre foi martelada na quebrada de que a ancestralidade é amaldiçoada e o negro precisa fazer uma conversão para poder ser uma pessoa melhor na vida”.

O Magazine “Mwana Afrika” é uma verdadeira viagem ao Continente berço. Mwana Afrika, vai ao encontro nossas raízes e mostra ao mundo. Traz curiosidades excepcionais sobre África e em particular sobre Angola: povos e etnias, filosofias de vida, rituais e línguas.

“É um passo muito importante no audiovisual brasileiro. A Trace não é o primeiro canal negro no Brasil, mas é o primeiro voltado ao afrourbano, voltado a pessoas pretas e periféricas. Elas querem se ver e contar suas próprias histórias. O Brasil nunca teve esse lugar de criação de conteúdo de pessoas negras que não querem se ver de formas caricatas. Nós precisamos criar espaços para inclusão. É um sonho muito antigo.”

Ad Junior, head de Marketing do Trace Brazuca.

A urgência de criar produções voltadas ao público negro e celebrar a cultura afrourbana se tornou mais latente do que nunca, especialmente depois dos movimentos antirracistas que tomaram o mundo nos últimos meses, após o assassinato de George Floyd nos EUA.

Para a semana de lançamento, uma programação especial foi pensada, incluindo playlists musicais de cantoras negras latinoamericanas e caribenhas, além de uma série de filmes e documentários dirigidos por Sabrina Fidalgo, uma das mais influentes cineastas negras do Brasil, e que reforça a importância de narrativas afrocentradas.

Fonte: Propmark e AngoRussia

Banner Content
Tags: , , ,

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário

ANO XVI – ED. 185 – AGOSTO DE 2020

Siga-nos

INSTAGRAM

Arquivo