A Primeira Jornada Nacional Virtual de Educação Quilombolas reunirá professores(as), lideranças, pesquisadores(as), coletivos, histórias e saberes quilombolas e não quilombolas interessados em uma educação antirracista como mecanismo de aprendizado, trocas e partilhas. Além disso a Primeira Jornada de Educação Quilombola visa compreender e fortalecer a educação dos/nos quilombos ou que atendam estudantes quilombolas, para fazer com a educação quilombola seja entendida e promovida como uma ferramenta de luta política em defesa dos direitos territoriais quilombolas.

O objetivo Geral da primeira Jornada Nacional é: reunir professoras(es), pesquisadoras(es), lideranças quilombolas, especialistas, estudantes, mestras e mestres dos saberes quilombolas e pessoas interessadas em pensar e promover uma educação que discuta os desafios e aponte estratégias de superação.

E como objetivos específicos esperamos:

  • Reunir professoras(es) professores, pesquisadores e pesquisadoras, estudantes, lideranças dos quilombos do Brasil para discutir os desafios e traçar estratégias para superação;
  • Identificar experiências exitosas de educação quilombola e partir delas, fomentar a realização em outras comunidades;
  • Sistematizar as demandas as demandas dos estudantes e docentes e com elas elaborar um plano de atuação da CONAQ;
  • Reunir e animar estudantes, pesquisadoras(es), professoras(es) para se engajarem nas lutas pelos direitos quilombolas;
  • Produzir um documento síntese com o resultado dos debates realizados durante a Primeira Jornada, para subsidiar a luta quilombola pelo direito à educação.

Para alcançarmos esses objetivos a CONAQ por meio do Coletivo Nacional de Educação Quilombola convoca todos os quilombolas e parceiros para se envolverem nessa luta que é de todos nós, quilombolas e não quilombolas que entendam que a mudar a sociedade precisamos mudar a forma como educamos as pessoas. Precisamos formar cidadãos e cidadãs negros e brancos antirracistas. A I Jornada Nacional de Educação Quilombolas é uma oportunidade para refletirmos nacionalmente sobre o tema da educação. A educação quilombola precisa seguir fielmente o que diz suas diretrizes.

A I Jornada Nacional de Educação Quilombola terá como anfitrião o Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Territórios Tradicionais (MESPT), da Universidade de Brasília e contará com a parceria de diversos grupos e laboratórios de pesquisa da UnB e demais instituições de ensino superior brasileiras. O MESPT é uma iniciativa pioneira de educação intercultural, no nível da pós-graduação, tendo já formado 19 mestras e mestres quilombolas, entre os anos de 2011 e 2020, de diferentes territórios no Brasil e no Suriname.

A realização da I Jornada Nacional de Educação Quilombola também constitui parte de uma agenda mais ampla, anunciando os preparativos para a realização do primeiro congresso sobre a questão quilombola, a ser realizado em 2021, com o protagonismo de intelectuais quilombolas, em diálogo com pesquisadoras e pesquisadores aliados.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:
3 de dezembro de 2020
10h
MESA DE ABERTURA
11h
PALESTRA | Educação escolar quilombola, desafios e as lutas territoriais | Givânia Maria da Silva
17h às 19h
MESA 1 | Formação docente, currículo e práticas pedagógicas: a união pela educação escolar quilombola
Currículo e práticas docentes: o encontro na Educação Escolar Quilombola | Romero Almeida
A Pedagogia Crioula | Márcia Jucilene Nascimento
Docência quilombola: o quilombo como espaço de formação | Vanessa Rocha
Debatedora: Georgina Helena Lima
4 de dezembro de 2020
10h às 12h
MESA 2 | Infâncias e juventudes quilombolas no Brasil
Infância Quilombola: construindo uma identidade de resistência | Carla Fernanda Galvão Pereira
Educação quilombola: panorama da infância nas comunidades do Vale do Ribeira-SP | Luiz Marcos de França Dias e Viviane Marinho Luiz
Experiências de formação da juventude quilombola no Pará: Grupo Abayomi e o curso Etnodesenvolvimento | Maria Páscoa Sarmento
Debatedora: Lucimar Rosa Dias
17h às 19h
MESA 3 | Educação antirracista e o aquilombamento da Universidade
Quilombando, Território do Velho Chico, BA | Joseilton de Oliveira Purificação
Autoorganização de educanda(o)s e pesquisadora(e)s da Licenciatura em Educação do Campo (Ledoc): a experiência da Epotecampo, Território Kalunga e Comunidades Rurais | Maria Lúcia Martins Gudinho (Malú)
Educação intercultural e antirracista no nível da pós-graduação: a experiência do MESPT | Mônica Nogueira
Debatedora: Neusa M. M. de Gusmão
19h
Leitura da Carta da I Jornada Nacional Virtual de Educação Quilombola

 

Mais informações: https://www.facebook.com/events/362192521762843/

 

Fonte: Conaq.

Banner Content
Tags: , , ,

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário

ANO XVI – ED. 188 – NOVEMBRO DE 2020

Siga-nos

INSTAGRAM

Arquivo